segunda-feira, 30 de abril de 2012

Mundo



Quando abri um livro pela primeira vez, nem me vem a memória agora qual era seu titulo, abri-o normalmente, não teve nada de especial, não houve nenhum brilho, nenhum som estranho, como se eu encontrasse algo que me mudaria. Não, não houve nada, eu o peguei e o abri, muito pequena para saber o que suas letras significavam, sem entender nada. Eu voltei a pegar em livros, e as pessoas até os leram para mim, nada me dava mais felicidade do que ouvi-los, mas não parecia ser algo que eu entendesse só sentia, só gostava de ler. Nunca pensei que isso teria alguma explicação, e não descobriria tão pequena. Confesso que os deixei de lado um tempo da minha curta vida, na verdade vivia um dia de cada vez, sem ter muita consciência de onde estava ou de quem era, bons tempos aquele que eu não sabia que dia era... Quando abri um livro pela primeira vez, depois de grande, abri-o normalmente, não teve nada de especial, não houve nenhum brilho, nenhum som estranho, mas teve algo maior, teve conforto, algo que me ajudou algo que me confortou. Havia uma coruja, que me dava boas noticias, havia um guarda roupa que me escondia, enquanto eu brincava de esconde-esconde, havia um coelho correndo, e como corria rápido! Caindo em sua toca estreita, havia bruxas e uma menina linda que elas diziam ser feia, haviam espadas, vampiros, mortos-vivos, havia risos e lágrimas. Aquilo eram mais do que livros, aquilo era o mundo onde eu me formaria, onde eu viveria, um mundo aonde eu descobri que poderia criar o que eu quisesse a partir de palavras.

By: Meg

domingo, 29 de abril de 2012

Lembram de mim?




Navegando por ai, nesse mundo louca que é a internet, e ouvindo essa musica eu olhava blogs, até que parei em  http://defatopalavras.blogspot.com.br bom ela me tirou no amigo secreto de blogs lá em 2010, era uma época melhor, mais divertida. Alguém se lembra de mim naquela época? Ela me escreveu um lindo texto e bom eu devo agradecer a ela novamente, pois ela me lembrou de quem nem eu lembrava ser. Ela me trouxe de volta ao começo, antes de tudo acontecer, antes de ele acontecer... Sim eu era feliz, eu era melhor do que hoje eu sou, talvez seja essa chuva que não passa, talvez seja esse ano... Bom me deu vontade de ser daquele jeito, de voltar a ser aquela menina de antes. Será que vocês ainda se lembra daqueles textos? Bom faremos assim, por que vocês não tentam se lembrar e depois me dizem quais dos textos vocês mais gostaram? Seria de grande ajuda a mim, que preciso tanto me encontrar. De qualquer forma vou tentar não me abalar e ser aquela garota legal de antes, ok? Obrigada a vocês. Beijos.

Megan

Meme e selo!

Ganhei este de http://abracarotempo.blogspot.com.br Muito obrigada por me indicar =D

As regras são: Responder e indicar.

Diga uma coisa óbvia sobre ti: Sou completamente louca
Qual o teu maior medo? A morte de quem amo
Qual tua cor favorita? Azul
O que mais gosta de fazer? Ler
Qual estação do ano prefere? Outono/Inverno
Qual teu vício? A esperança
Qual a coisa mais maluca que fizeste? Nossa essa é dificil eu faço cada coisa com as minhas amigas...
Qual a coisa que mais odeias? Quem não assume sua hipocrisia
Se pudesses mudar algo em ti o que seria? Pensar menos e viver mais, apesar de ter muito orgulho de quem sou.
Qual tua viagem dos sonhos? A de volta pra casa.

É muito dificil



Quando não se tem mais vontade de lutar. Quando tudo se torna futíl e inutíl, por que lutar? Pra quê lutar? Se ninguém depende de você para existir? Todos podem facilmente se recompor, a vida deles vai continuar e parar é uma boa idéia, quando não se tem mas nenhuma outra alternativa, quando sabe-se que você não vai morrer para salvar alguem, pra quê morrer tentando? Quando tudo se torna ridículo e as pessoas só sabem cobrar? Pra quê viver inultimente se no final nada restará? É muito difícil lutar contra uma coisa boa, difícil desistir da única coisa que te mantem de pé, a única coisa que te faz caminhar, mesmo sabendo que todas essas pessoas estarão ao seu lado, é muito mais difícil a partir do momento em que a bebida te enjoa, que sua cabeça não te deixa dormir anoite, no momento em que você sente nojo de si própria. Não que eu esteja mais em uma casa pegando fogo, não Melissa isso já passou, estou entre os destrossos, estou no lugar aonde era antes o meu lugar e onde agora só á fuligem e lágrimas, você me ajudou a viver em meio a tudo isso, me tornou uma mulher dentro de minha realidade, mas a culpa não é sua, a imaginação é minha e agora eu não tenho mais isso. Agora eu tenho nojo de mim mesma, no momento eu tenho lágrimas em meus olhos e um sorriso falso, foi o que me sobrou, foi o que eu consegui salvar de mim mesma. Eu nunca fui uma pessoa interessante, nunca fui uma menina maravilhosa, nem brilhante e já fui machucada o suficiente. Suas brigas me ferem, mas você me ensinou a ser forte e eu não ligo mais. Só que é muito difícil não poder mais vê-los, não poder amá-los, é difícil não poder ir mais pra casa.

By: Meg

sábado, 28 de abril de 2012

Melissa

Foto em homenagem a Minha Melissa ^-^


Um sonho... Pra falar a verdade uma lembrança, foi logo no começo desse pesadelo, o começo de um pesadelo é sempre assim, você acha que está tudo bem, então algo muda no percurso do sonho e tudo se ferra. Como eu dizia, era um sonho, uma lembrança. Megan estava comigo, ela me ensinava a caçar, nós corríamos, eu sei bem aonde era o lugar, um dos meus preferidos do mundo, uma floresta a beira da cidade, corríamos como o vento, eu ria, estava empanturrada de sangue, corríamos por diversão, quando paramos em um riacho para nos limpar, eu olhei em seus olhos pretos como o inferno, ficavam ruins com aqueles lindos cabelos dourados.
- Meus olhos ficaram negros pra sempre? - perguntei, ela me olhou e sorriu.
- Ao menos que morra - disse ela sorrindo, tentei não me assustar. Continuei vidrada nela.
- Que cor eram os seus? - perguntei, ela soltou um suspiro triste.
- Verdes. - disse simplesmente. Ela não deixou eu fazer mais perguntas, ficou de pé e saiu andando, a segui. Ela olhou para mim e sorriu.
- Vem vamos encontrá-lo - disse ela, corremos, rindo, brincado, até chegarmos ao pequeno chalé, lá dentro Miguel nos esperava, Meg foi em direção a ele e lhe deu um lindo beijo, eu cheguei logo depois e ele me abraçou, eramos uma família e eu me sentia bem...

Acordei, não tinha sentido tanta dor assim desde... Muito tempo, aonde eu tava? Aonde estava Random? Olhei e vi Megan na poltrona de frente pra mim, seu rosto não continha a expressão de família de antes, agora os olhos eram frios e indiferentes, sei que Miguel está atrás de mim, posso senti-lo, estou tonta, mas a principal pergunta é:
- Onde eu estou? - pergunto me levantando, eles se preparam para uma briga, mas Megan me abre um sorriso estonteante e se demonstra chateada.
- Todos esses anos e nem para dar um oi? - pergunta ela falsamente chocada, me levanto bem devagar ciente do lugar hostil e minha morte eminente, bom... Já que vou morrer mesmo que tal brincarmos.
- Perdoe as minhas maneiras - digo fazendo uma mensura, Megan aprova com um sorriso.
- Claro, claro. Com tantas coisas a se preocupar não é mesmo. Com o namorado a ponto de morrer quem se preocuparia em dizer olá aos velhos amigos, não é mesmo?

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Não consigo mais dormir.




De noite não consigo dormir. não sem antes chorar por você, tenho falado repetidamente para eu ser forte e lembrar de como eu era antes, para eu me lembrar de como eu me fiz, de como eu quis ser, mas sabe tem sido bem difícil. É como viver uma vida que não é vida, sabendo que você já teve algo melhor. Enfim eu consegui dormir, sempre consigo e sempre depois de chorar de gritar seu nome no silencio da minha voz, de procurar por você e me torturar falando para mim mesma que você não está lá, nunca esteve e nunca estará. Bom eu consigo dormir sem você para ter sonhos onde eu te encontro, mas não posso te tocar. Sua falta me sufoca tanto! É quando como andar no limbo, não á nada lá além de ar... ar e lágrimas, eu nunca consigo dormir bem quando consigo dormir, você não está lá para cantar nossa canção. Está entre os seus, anjos respeitosos... Você me esqueceu? Você não vai voltar não é? Nunca mais vai deitar seus cabelos loiros perto dos meus singelos e morenos, pois é acho que também nunca mais vou voltar a dormir...

By: Megan

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Sua sombra




Sua sombra me assombra, me segue, me chama, me sonda. Sua sombra me busca, e eu busco por nosso passado.Nas nossas vidas separadas, sua sombra me persegue, na realidade eu também a busco, até no escuro ela permanece lá brilhando como o sol, sinto sua proximidade, sinto sua sombra na minha, mas suas mão nunca chegam a mim, meu desespero cresce. Nas ruas sinto você, nos beijos ouço você afegar, imagino seu toque no toque de outros, e choro, choro pois o que sobrou foi sua sombra de luz, tudo o que restou de ti, foi o pedaço destruído dentro de mim, um pedaço confuso que não me deixa decidir, eu sei o que é certo, mas eu também sei o que sinto, amo e amarei para sempre você, como uma prisão domiciliar, nunca me entregarei a vida real, não como vivíamos, não como no nosso mundo. O certo é eu te esquecer, e viver, crescer, superar e ir em frente... Como se fosse fácil, como se fosse natural te esquecer, como se eu não te amasse mais do que tudo, tudo está tão diferente depois que acordei, sinto que não pertenço a este lugar, mas aqui estou eu, sem você! Lembrando de sua sombra como se fosse algo a que me segurar, algo que iria me salvar. Sua sombra me assombra, me segue, me chama, me sonda e eu preciso de você.

By: Meg

domingo, 22 de abril de 2012

As vezes




as vezes nós fazemos coisas erradas, as pessoas nos julgam, nos colocam nomes, elas tem sua opinião e querem  anuncia-la para o mundo, as vezes somos assim também, usamos esse mesmo artificio contra as pessoas, o ser humano é algo tão hipócrita que chega a dar nojo, mas infelizmente somos seres humanos, não que admitir isso seja alguma salvação, de jeito nenhum, mas como eu dizia, as vezes fazemos coisa erradas, as vezes as pessoas se machucam pelas coisas que fazemos, mas qual seria a surpresa se fazemos as mesmas coisas que outros? Eu cansei de tentar, cansei a muito tempo, isso não me machuca mais, isso não me importa mais, mas... e aos outros? E aos outros seres humanos hipócritas que tanto amamos? E mesmo aqueles que desprezamos, aqueles que odiamos, as vezes fazemos coisas, coisas que não valem a pena, coisas que são ruins, mas que é preciso fazer, que é divertido fazer, eu cansei de tentar entender, e essas coisas que acontecem não me importam. O que eu faço não pode ser considerado errado, não se você é como eu, não se você é capaz de pensar, se é capaz de ver, as vezes nós fazemos coisas...

By: Meg

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Meme in Wonderland

Este desafio tem a intenção de te levar para o mundo de Alice...

Regras: 1- Colocar a imagem no Post
2- Agradeça ao blog que te indicou: Obrigada Miyako-chan-space.
3 - Indique para no minimo 3 Blogs
4 - Se quiser participar mas nao for nomeado pode pegar assim mesmo.




- Londres, século XIX, você está em sua mansão, descreva como ela é:
Em cores simples, os portões são de ferro negros guardados por dois tordos, com um belo jardim e um gazebo. A propriedade fica perto dos pastos, onde á a criação de cavalos, a mobilia é de mogno puro, a mobilia é em cores


- Você está na biblioteca da sua mansão, lendo um livro, qual livro você está lendo?
Um velho romance Celta sem identificação, mais um em minha enorme biblioteca


De repente, o telefone toca, é a sua tia lhe convidando para ir ao casamento de sua prima amanhã e você deve concordar. O que você diz para ela? 

Oh tia, que esplendido adquirir o conhecimento de tal brilhante comemoração! Espero juntar-me a ti e minha prima o mais breve possível, espere minha cara, logo estarei em jubilo em tua companhia.

- Depois de desligar o telefone, você deve ir dormir, descreva o seu quarto:
Uma cama marrom escura, com colchas azuis de diferentes tons com um docel caindo levemente sobre a cama, um sino de vento toca suavemente da sacada de meu quarto, á uma penteadeira, uma "escrivaninha" com minha coleção de penas de desenhar. Á uma linda sacada, com uma vista esplendida e enorme até o horizonte.


- Logo após cair no sono, você tem um sonho muito doido, mas breve, com um coelho branco. Descreva esse sonho:
Estava em uma clareira, um homem estava comigo, estávamos rindo e correndo um atrás do outro, e caçando pela floresta, quando meu companheiro de sonho quase atinge um coelho especialmente bonito. Eu o impedi, o coelho corre, e eu sinto uma vontade de segui-lo...


- Ao acordar você vai imediatamente se arrumar para ir ao casamento. Você já está pronto (a) Descreva o seu vestido/terno:
Um vestido azul maravilhoso, amo todos os meus vestidos, mas esse é o meu preferido. É um frente única, saia com um leve rodado, quando me movimento a sensação é de que estou em volta em meus lençóis ou mergulhada em água até as canelas. Por baixo estou usando um corpete bem apertado e usando algum pó no rosto e estou pronta.


e o seu cabelo, como está?
Tenho ele com um trançado diferente passado de mãe para filha em minha família, está com uma fita azul enroscado complexamente nele, uma boa parte do cabelo está solto, mas a parte dos lados trançados até o meio caindo em uma trança diferente e linda em cima do cabelo solto.


- Você vai para a porta da frente, ela tem um lindo Jardim, descreva-o:
Á uma fonte maravilhosa bem no centro, tulipas vermelhas e amarelas se propagam ao seu redor, Á minhas rosas brancas nos arbustos selvagens e por toda a extensão do jardim, existem as mais diferentes flores do mundo.


- No Jardim se encontra seu mordomo. Como ele é?
Richard, muito divertido, está sempre me divertindo e me animando, odeia minha cozinheira, mas admite sua comida maravilhosa, senta-se comigo a mesa como um amigo.


- Ele lhe chama para ir à carruagem, como é a carruagem?
De ferro, estofamento bege, rodas de madeira bem acabada e com detalhes perfeitos feitos especialmente por meu pai... Quando vivo.


- Ao entrar na carruagem, você nota que tem um acompanhante, Fale como ele é:
É ele! O homem que me acompanhava nos sonhos, está com um chapéu que esconde suas machadeiras, mas são bem claras, seus olhos são verdes brilhantes, com aquele olhar que parece ver até a sua alma.


- Quando chega lá, nota que é uma festa imensa! Como é a festa?
Mesas postas em harmonia de modo que elas não interferissem na pista de dança e que a pista não interferisse nelas, um banquete imenso está a disposição protegido do sol por um toldo branco.


- Você nota um coelho branco andando fora da festa perto de uma floresta. Como é a floresta?
árvores altas com folhas espaçadas, a luz do sol aparecia e desaparecia conforme você se movimentava pelas arvores.


- Você o segue, e no meio da floresta encontra uma toca. Uma olhadinha não custa nada não é? Mas sem querer cai lá dentro. Descreva seu caminho até chegar ao chão:
Como se eu conseguisse me focar em alguma coisa! Um buraco enorme mas eu caia em alta velocidade, algumas coisas passaram por mim, um livro velho, Grint minha amiga apareceu me perguntando o por que de quere saber o por que, se o por que não importava. E então tudo parou e eu levitei no ar antes de cair de cara no chão.


- Meu Deus! Que sala estranha você caiu! Descreva essa sala:
Á relógios voando! Por todos os cantos! Levanto e percebo que não me machuquei, tem umas vinte portas em toda a extensão circular da sala, e uma mesa bem no centro. Na mesa um pote e um vidrinho vermelho.


- Você acha uma pequena porta secreta, mas não consegue passar nela, então come um bolo em um pote, qual o gosto do bolo?
Enjoativo, muito doce, parece feito de marshmallow, açúcar, chocolate, caramelo e calda com açúcar de confeiteiro em cima.


- Agora você está grande demais! Você bebe um liquido em um vidrinho. Qual o gosto?
Maravilhoso, um licor de cereja levemente adocicado com um gostinho mais forte.


- Agora você já pode passar, quando abre a porta, o quê você vê? 
vejo um pato estranho andando na minha frente, ele corria atrás de um sapo com um pedaço de papel na mão, haviam flores. Em todo lugar, e bem distante, depois de uma floresta que parecia feita de arbustos selvagens gigantes um castelo em vermelho e preto deslumbrante.


- Descreva sua jornada por Wonderland. (invente novos personagens se quiser)
Atrás de mim a porta se fecha com um estrondo vejo que é impossível eu voltar então vou em frente, acho que se eu conseguir chegar ao castelo posso arranjar algum jeito de voltar, infelizmente o único caminho é a floresta de arvores com vários troncos e uma só folhagem, dentre eles, haviam flores enormes, bem maiores do que eu, parei perto de um pequeno proto de rosa, quando ele abriu os olhos e falou comigo. Logo atrás dele uma rosa maior o repreendeu como se fosse sua mãe, elas queriam arrancas minhas mexadeiras e minha roupa para ver qual tipo de pétala eu tinha, por isso eu fugi delas, vieram borboletas que mais pareciam fadas feias, vi o coelho em uma ou duas parte do meu percurso, tentei segui-lo sem sair do caminho, mas as arvores enormes me desviaram e eu me perdi, quando ouvi uma cantoria agitada e a segui, quando avisto um senhor de chapéu, olhos verdes brilhantes e cabeleira loira, acompanhado de uma lebre e um rato estranho.


- Você se encontra com a mesa do chá do Chapeleiro Maluco. Ele está cantando uma musica. Qual é?
Uma sobre o seu desaniversário ser todo dia do seu aniversário que não é do mês do seu aniversário, e algo sobre uma escrivaninha ter uma semelhança com um corvo (que era óbvio demais)


- Você toma um chá. De quê?
Um chá esquisito, de morango, felizmente ele me faz voltar ao tamanho normal em minhas roupas adequadas.


- Mas que surpresa! O gato de Cheshire se parece muito com um amigo seu. Qual amigo é esse?
Oh meus deuses ele se parece com Nico!


- Você vai para o castelo da Rainha. Descreva o castelo. (não esquecer que ele é inspirado em cartas)
O castelo vermelho e preto é amedrontador. Suas torres são construídas com cartas de espada  sua frente tem degraus de ouro, colocados de forma impecável, parecia que o concreto tinha sido desenhado em forma de cartas de baralho, mas eu pude sentir ao encostar na parede que eram de pura carta, era engraçado como as árvores tinham formato de paus e as copas eram o formato da fonte de entarda. os vitrias tinham forma de ouro.


Você se meteu em uma encrenca! O que foi que você fez?
Eu não fiz nada! Foi ela quem me chamou para uma amistosa partida de arco e flecha animais, eu simplesmente ganhei... E quase acertei um flamingo em sua testa, mas isso é irrelevante!


Mas que susto! Você acordou no ombro do seu acompanhante. O que ele diz?
"Está tudo bem? Você esteve falando coisas sem sentido."


Você chega realmente no casamento da sua prima. Que sonho mais estranho você teve, não? Mas de longe, você vê um coelho novamente, e decide que não resolve segui-lo. Porquê?
Bom o momento não para se meter em confusões e tenho certeza que é isso que ocorrerá se eu o seguir.



Conte o desfecho dessa historia.
Eu estou ali vendo minha prima se casar, o coelho já desapareceu, mas sinto vontade de averiguar se ele não está ali me esperando, vou até a orla da floresta que ronda a propriedade, e ando despreocupada pelas arvores que agora são naturais ainda maiores do que eu, quando ouço um barulho, penso logo no coelho, mas meu companheiro de carruagem sai de trás das árvores, seus olhos verdes e seus cabelos claros me lembram alguém... Ele conversou comigo e começamos a andar pela floresta, ele era reconfortante e sábio, ele me dizia algo sobre Le Corbusier, alguém que tinha o apelido de Corvo e fazia escrivaninhas, e então senti que ele era alguém especial...


Blogs que eu desafio:
Sonhos em linhas
Hi my love


By: Meg

terça-feira, 10 de abril de 2012

Mais uma recaida



Você não está aqui, você não vai voltar, você não vai ser meu, eu estou sozinha, sentindo nojo de mim mesma, por simplesmente não ter você e mergulhar neles que se divertem comigo, eu os mato, mato seus desejos e depois seus amores, tudo por que eu me matei, quando tirei você de mim, eu cai novamente, estou no chão por mais um dia e não quero levantar, por que de que adiantaria eu levantar? Será nos seus olhos que olharei se definhar aqui e será a dor que receberei se levantar, prefiro esperar por você, mesmo sabendo que você não virá, eu não quero mais acordar sem você e seguir em frente, eu não vou viver eu me recuso a viver, se você não estiver incluído no pacote, eu já não tenho mais forças de fingir, como tenho fingido tao bem, eu rio, eu brinco, eu faço piada, e de noite eu choro, choro sem som pra que ninguém me ouça gritar o seu nome e implorar por você. 
Uma parte de mim te espera, espera uma hora em que eu chorar tanto que você vai aparecer, outra parte acha que você está por ai, tem um pedacinho que quer te ver, um pedacinho bem grande, mas a maior parte... Essa acha que é idiotice que é loucura, estupidez pensar que você sequer existe, mas todas as partes concordam, eu estraguei com tudo, com toda a minha vida, e agora é tempo de uma outra recaída. Sem você! Mas por você, o único por qual eu choraria.

By: Megan

domingo, 8 de abril de 2012

Melissa



Sou um monstro, um monstro cruel e perverso que acabou de matar uma mulher, matar a sangue frio, na frente de seu namorado, mas... estranhamente... Eu não estou ligando, sem me limpar escalo o prédio do restaurante e saio andando, sem nenhum escrúpulo, pulo em um velho bêbado, deve ter sido a melhor aparição da vida dele, sento em seu colo e o mato quebrando-lhe o pescoço, o sugo e sigo telhado a cima, sempre em direção a alguma coisa do passado, a cidade se transforma é a mesma de anos atrás, está a mesma coisa, e sorrio, quase consigo ver as pessoas que já matei caminhando pela rua empoeirada, me agacho e corro por entre todos, sem ser vista, vou para minha segunda casa, um segundo lar. Algo me diz que lá hoje é um casebre abandonado, mas não estou ligando, de repente me surge uma fúria horrorosa, quero quebrar tudo, quero matar, quero que não sobre ninguém, entro e vejo o casal que mudou a minha vida, me esperando voltar da caça, eles se levantam rapidamente, e querem me tocar, já eu... quero os matar, vou em cima dela, tenho um ódio mortal daquela vadia, mas algo me nocauteia sem eu ver e caio, a ultima coisa que vejo, sao aqueles olhos roxos, vermelhos de lentes azuis me olhando seriamente...

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O que eu faria sem você?




Toda vez que eu tento olhar por trás de teus olhos verdes, nada vejo além do que eu vejo do lado de fora, vejo um livro aberto e tenho muito medo, medo de você ser boa em mentir, mentir para a melhor, sinto medo de estar me enganando com seus olhos, sua aura, sua cor, acho que estou, mas então você me trata com honestidade, com sinceridade, com um jeito que me assusta, as musicas que você me canta, as coisas que me diz, me distraem, tira tudo de minha mente, devo confessar que você está ganhando minha confiança, e eu vou deixar você me levar pro mundo mortal, me fazer esquecer, por que você se diz minha gêmea, você é sangue do meu sangue em nossos corações nós somos, somos irmãs que moram em casas diferentes, que tem pais e mãe diferentes, temos nossos próprios irmãos, mas não deixamos de ser irmãs e eu te amo com uma. Então você brinca, ri aquela sua risada louca, me olha com aquele olhar e eu me deixou sentir medo, por não saber quem é você e pensar que você é a melhor, ver você como se eu conhecesse a minha vida inteira, sei que te amo, e vou me quebrar se for falso, sei que vou, mas enquanto eu sei que está comigo, eu tenho que agradecer, por me tirar da minha melancolia, me xingar, desenhar em mim, me distrair e me ensinar a ser tão carinhosa, as vezes eu penso, o que eu faria sem você? Eu te amo Gêmea.

By: Meg

Onde eu fui parar?




Ouvi as musicas de antes, vi as histórias escritas, os posts postados, as lágrimas sofridas, ri com as mesmas coisas, chorei com as mesmas lembranças, senti que dentro de mim ainda existia aquela menina que eu tinha sido, mas que nao era mais, ouvi meu passado sussurrar como foi gostoso, até as lágrimas tem seu gosto em minha memória, e então eu penso aonde eu fui? Porque me perdi novamente, me perdi em me achar, simplesmente parei de pensar, de ler, de escrever. Eu sumi! E não mandei cartão postal, não deixei lembrete, nao sei aonde fui, o que eu fiz, nao faço idéia de onde estou, por que as coisas foram evoluindo e eu fui vivendo como uma pessoa normal, fui fazendo coisas normais, fui estudar pra ter um futuro, um futuro sem você, o futuro que eu desprezei, e de repende estou presa nele, perdida nele, sufocada nele, você me disse pra seguir em frente e eu recusei, eu simplesmente me recusei em esquece-lo e duvido que vá fazê-lo um dia, porque eu ainda choro pensando em você. Infelizmente eu cresci, cresci querendo mostrar que cresci, querendo ser tratada diferente, me tornei madura, quando devia ser uma criança, cresci com você e cresci sem você, nao fazia diferença, só que eu era mais feliz, eu era mil vezes mais feliz, agora nao sei quem sou, eu fui embora e deixei justo ela, quem eu mais odiava, Melissa me fez ver que eu sou eu, e ela era eu também... Eu acho que me expulsei, me mandei embora, por isso me perdi, me perdi sem você e sem ela, sem eu, virei aquilo que mais odiava, virei aquilo que me recusava a ser, virei uma normal, e a magica se foi, junto com você, e eu.... Eu fui com você.

By: Meg