domingo, 8 de novembro de 2015

Uma postagem polêmica e séria.

   

 Talvez essa seja a primeira vez que falo sobre um assunto polemico, mas aqui estou eu e sei que se alguém ainda lê esse blog pode muito bem se ofender ou resolver não ler assim que eu revelar o tema que irei dissertar: Aborto. Pronto, já fecha-se a aba, nunca mais voltam no blog, não querem pensar em nada sobre tal assunto, mas isso é algo que eu preciso por pra fora (força de expressão péssima eu sei), quando eu digo que eu sou a favor do aborto sempre há a reação "Eu também, não poderia pensar outra coisa de você" e a reação "Que horror! Pecadora! Ridícula! Você diz isso porque está viva!" primeiro começamos com a ideia de que eu não pedi pra nascer e como Depressiva Nervosa eu tentei partir algumas vezes, mas o que gostaria de explicar é que as pessoas não parecem pensar no que "Aborto" significa! Aborto significa interromper, abortar uma missão antes que alguém morra, abortar uma ideia é parar de pensar na coisa antes que se torne critica. As pessoas pensam "Seu corpo, mas há um corpo dentro de você!" "é uma vida!" Como as pessoas podem não entender que ainda não é uma vida? Apenas na oitava semana de gravidez o seu embrião é promovido a feto, a FETO! Ele ganha coração, e começa a se desenvolver, oito semanas são dois meses, você tem dois meses para pensar, você tem dois anos de acompanhamento psicológico, você tem dois meses para tirar de dentro de você um conjunto de células reagrupadas, as pessoas ficam sentidas sobre isso, mas não ficam sentidas quando você raspa um pouco de pele do dedo e sangra, doí, machuca e as vezes fica uma cicatriz enorme em você, mas tudo o que você fez foi tira células que se ligavam ao seu corpo de você, em três meses você sofre o risco de ter um aborto espontâneo, mas porque esse ninguém castiga?
   O que ninguém entende é que não estamos falando em tirar um bebe de sete meses de dentro de uma mulher apenas porque ela cansou, não queremos tirar um bebe de 5 meses de dentro de uma mulher porque ela descobriu que é homem e ela queria uma mulher, isso é cruel e descabido, essas pessoas não podem ser pais, essas pessoas não deveriam existir e esses tipos de pensamentos deveriam ser tratos em clinicas, mas por que negar a uma mulher o direito de escolher dar prosseguimento a essa geração ou não? Por que então não negam ao exercito a chance de abortar a missão? "Vocês não queriam ir? Agora fiquem ai, se não quisesse por que não desertou? Por que foi para o exercito" você não pede a um grande filoso para abortar uma ideia "Por que quer parar de pensar nisso? Não começou? Agora aguente" não tratamos outras coisas de modo tão grosseiro e duro e acredito que não deveríamos tratar nada dessa maneira, gostaria que as pessoas que são contra o aborto entendessem isso: A ideia é interromper um conjunto de células de adquirir sistema nervoso e coração, não de matar, uma mulher para abortar precisa ser forte, ela passará a vida toda pensando o que seria se ela fizesse diferente, ela passará por traumas e cicatrizes e isso não pode ser levado com levianidade e grosseria, eu gostaria de pedir, infantilmente e tolamente, paz, gostaria que todos entendessem e parassem de tentar se matar e se agredir, uma mulher tem direito de seu corpo sim e tem o direito de fazer sexo e tem o direito de errar e tem o direito de impedir que algo se torne algo maior, ela tem o direito de impedir que seu amontado de células interno se torne uma pessoa e lutarei até o fim dos meus dias por seus direitos, não por ser mulher, mas por ser um ser humano.

Desculpa se ficou meio grande,
Meg.

sábado, 7 de novembro de 2015

Amar você



Amar não é fácil... Amar infelizmente não depende apenas de duas pessoas, nunca foi assim Jane Austen sabia bem disso, bem... Eu o amo, eu realmente o amo mesmo sem saber o porque, ele não tem educação, ele briga de lutinha na frente dos meus pais, comigo e com outras pessoas, amigas minhas que ele mal conhece, ele não conversa, ele raramente respeita e diz que não liga pra nada, ele foi criado para ficar, eu fui criada para voar, ele não quer sair, não quer viajar, não parece querer nada com nada, não parece fazer nada para darmos certo, não tem respeito, não tem emprego, não tem nada, não tem assuntos em comum comigo, mas mesmo assim eu o amo, eu amo muito e de um jeito real, com erros e acertos eu o amo com todos os defeitos e sei que não sou perfeita, eu sou provavelmente um pé no saco, eu não tenho assuntos em comum com ele, eu sou chata e implicante quero sempre ter razão, eu não sou capaz de perdoar ou confiar em alguém que fez burrada, sou orgulhosa e vaidosa, eu sou metida a criativa, eu não falo, não pareço me importar e as vezes sei ser bem fria eu sou tão quieta. Sei que seus defeitos só são defeitos para o modo como fui  criada e vice e versa, sei que os pais dele podem não aprovar o modo sutil como tento interferir na sua conduta e com certeza sei que meus pais não aprovam em nada seus maus modos e ele não ter um emprego, sei que meu irmão não gosta dele e ele não gosta do meu irmão, sei que não gosto da irmã dele e sinto raiva dela, e sei que tudo isso o machuca, mas eu o amo, amo demais. Amar dói as vezes e te faz chorar, amar te enlouquece te vira do avesso e depois de um tempo as coisas não são mais tão bonitas, mesmo assim, depois que a paixão acaba, eu ainda o amo, amo enlouquecidamente, mesmo sem entender o porque, ele não falou com meus primos, ele não se dirigiu as minhas primas, ele trocou poucas palavras aqui e ali com alguém, ele não fala, ele não mostra respeito, as pessoas comentaram e fiquei envergonhada, envergonhada que pudessem pensar assim dele, pessoas que me estimam tanto pessoas que dizem coisas tão boas sobre mim falaram coisas tão rude daquele que eu amo. Eu o amo e não sei o que fazer, não sei como agir sobre isso tudo... Ele é bom, tem bom coração, sabe se controlar, ele sabe amar, ele é inteligente é forte, é rápido, faz parkur, leu alguns bons livros, ele é gentil, ele é fofo, ele gosta de animais e de crianças ele tem mais vida nele do que eu em mim, ele tem seus traumas e é metido a herói, ele é meu herói ele sabe conversar sobre religião, sobre ciência, sobre filosofia e sobre historia, seus lábios são tao macios e suas mãos tão quentes, ele é um herói de historias antigas, mas um herói real, com defeitos, eu o amo por tudo isso e saberia conviver com tudo isso, eu só queria que tudo dependesse apenas de nós, mas e ele, será que saberia conviver com isso tudo? Saberia me amar como eu o amo? Será que me ama mesmo assim, como eu o amo? Será que faria por mim o que eu faria por ele? A  insegurança e a estabilidade me fazem recuar e eu queria a segurança de voar com ele, somos tão diferentes e eu o amo tanto...

- Megan