terça-feira, 20 de junho de 2017

Sobre o presente




Eu amo Guilherme.

Eu leio desde que aprendi a ler sobre como é o amor, e até mesmo já havia experimentado como eu disse no ultimo post, mas era um tipo diferente, não era como os livros descreveram e como eu já li e já escrevi o que torna tudo melhor é a junção de qualidades e defeitos, é o que torna humano, saudável, as coisas não precisam ser perfeitas para serem maravilhosas, e com o Guilherme as coisas são maravilhosas, acredito que se fosse descreverem em cores o amor que senti antes era azul, amarelo brilhante e branco, cores que podem te cegar, enquanto que com Guilherme tudo é marrom, vermelho, como um dia de baixo das cobertas com alguém que se ama, e Deuses como eu o amo, é só um encaixe ideal, vejo em seus olhos que ele me entende, me conhece, ele sabe o que penso, conhece minhas inseguranças e meus medos, minhas alegrias e meus defeitos e sabe que conheço os dele, há aquela comunicação onde não é preciso necessariamente falar. Uma vez eu li que talvez amor seja saber completar a piada do outro, Guilherme me faz uma pessoa melhor e eu espero que o incentive o mesmo, ele me faz tão feliz, é meu primeiro pensamento do dia e o meu ultimo, acredito que seja impossível fazer alguém entender o quanto ele enche meu coração de calor e luz e o quanto uma cara triste sua me destrói, uma cara de preocupação me deixa em alerta, eu faço sacrifícios por ele sem nem mesmo pensar, porque ele é tudo o que eu quero pra ser feliz, ele é como uma musica calma pros meus pensamentos mais perturbados e seus olhos castanhos, ah como eu amo mergulhar neles, eu gostaria de olhar mais pro resto de seu corpo, mas eu só posso focar em seus olhos, ele diz que são idênticos aos meus, mas eu sei e por certo ele sabe também que é muito mais, seu amor me transborda e eu saio por ai querendo que todos sintam isso, porque é tão puro, tão simples, mas tão complexo que só pode ser uma mina de ouro, não tem sueira, não tem incomodo, não tem maldade ou agressividade, é como adormecer ou ir pra casa, mas é saber que vai ter um grande dia amanha ou saber que em casa tem algo de bom te esperando, eu conto os segundos pra ver ele e quando ele vai embora eu me sinto preenchida e solitária ao mesmo tempo, ele me faz sorrir, ele me faz feliz! E e eu o amo, amo tanto, eu nem sabia que podia amar tanto uma pessoa, eu nem sei como dizer a ele que o amo porque parece um verbo tao pequeno pra algo que é maior que o mundo, que eu, que tudo, parece tão fantástico e explosivo, mas em uma calma contida capaz de apaziguar meu coração e mente, é como o mar, calmo e furioso, profundo e pacifico, capaz de me fazer viajar e me acalmar, Guilherme me tem na palma da mão e isso não me assusta, eu sou dele e também não me sinto mal por isso, sou capaz de me entregar de corpo e alma a ele e vê-lo me despir, tirar insegurança por insegurança, sorriso atrás de sorriso e quanto mais ele me despe mais eu o amo, meu deus como o amo e é minha sorte que ele me ame também.

- Marianna

Nenhum comentário: