sábado, 22 de setembro de 2012

Nova Interface do Blogger me irrita

Não gosto mais do blogger, algo que me deixa furiosa é quando as coisas mudam sem eu pedir. Eu não curto a nova interface do Blogger, não se sabe quanto tempo levarei para me acostumar e SE irei me acostumar, sinto muito meus caros, mas a nova interface tem me impedido de postar =(

Esperando que estejam bem.

Megan

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Melissa




   Morri de medo de suas palavras, não da parte da dor, a morte eminente era certeza, agora a parte sobre Random é que me assustava.
  - Vamos relembrar os velhos tempos mio amore - Megan disse sorrindo e me colocou de pé com um olhar, seu sorriso era uma imitação perfeita de um verdadeiro e amoroso.
  - Primeiro começamos com o seu planinho de se transformar em um monstro, você se lembra meu bem? - ela perguntou, e de repente me senti com fome, como se me tornasse humana e a falta de comida de todos esses anos viesse de uma vez só, eu grunhia de fome, sede e frio, me senti tonta.
  - Então seu brilhante ato de tentação - ela disse com uma faca de cortar carne nas mãos, ela andou calmamente até mim, que arfava de volta ao chão, ela segurou meu pulso e o cortou, doeu como se eu fosse humana, e comecei a gritar, ao mesmo tempo que era humana e via meu sangue brilhar eu o queria, queria tomá-lo, queria matar a menina dona daquele sangue maravilhoso.... A menina era eu, as sensações eram as de Megan e então as de Miguel também estavam comigo.
  - lembra de como doeu? Sua idiota, se lembra? - ela me perguntou, minha garganta queimava, meus olhos queimavam, a sensação de estar no ápice de uma forte doença, com sede, não a humana, outro tipo de sede, uma que já tinha aprendido a controlar nos dias de hoje. Eu gritava, grunhia, arfava, pedia para ela parar, Megan apenas sorria, ouvi barulhos na casa, alguém havia chegado, eu não pude ver quem era. Ficamos nessa até ela se cansar de meus gritos, ela parou, senti gotas de suor em mim, elas foram sumindo, meu coração desacelerou até parar de bater, a dor continuava a latejar, fiquei no chão de quatro arfando e querendo chorar, não havia mais lágrimas em mim. Megan foi até mim, agora via Miguel ao seu lado, a gola de sua blusa estava encharcada de sangue, o que me preocupou.
  - Nós te amávamos Melissa, você foi uma menininha muito má. - ela disse e me deu um chute no nariz, Miguel me pegou no colo, eu não conseguia falar, o cheiro de sangue que vinha dele, era o cheiro do sangue de random, ele me levou pelo apartamento e pelo resto do prédio até a porta dos fundos e me deixou jogada perto do lixo em um beco, havia mais dois humanos ali, mortos ao menos a duas semanas, eu não conseguia me mover, pela primeira vez como vampira eu sentia dor, e não era pouca dor, acho que se eu pudesse morrer estaria morta, fiquei ali pelo menos por um dia e meio, sem me movimentar, eu só pensava em Random.

By: Meg

Saber porém temer


Sabe quando você sente que não deve confiar? Sabe quando sente a mentira, sabe a verdade e fica só olhando, olhando as pessoas duvidarem de você? Então... Deixe, ignore e vá ser feliz, por mais que essa pessoa tente se convencer que você esta sofrendo sem ela, e que você ri só pra fingir que está felizo... Deixe, pois nada vai mudar a mente dela,  vá curtir a sua vida, e esqueça dela.

Dica da Meg.

"Isto costumava ser uma casa de diversão, mas agora está cheia de palhaços cruéis"



Fui bem tola de me perder na minha própria mente, lendo um de meus antigos textos, vejo como lunático meu mundo parecia, como pisicodélico ele era, como tola eu fui, ficar feliz em perder a razão! Como uma criança evolui em gente grande? Me avisaram, mas eu estava muito feliz, as musicas me avisaram e eu as desprezei, mas acho que essa lição também foi aprendida, sonhos são sonhos, loucuras são loucuras e Vida são sonhos que realizamos, atos cometidos, erros aprendidos, bom agora aquele mundo se foi, o ser humano precisa de uma casca, uma proteção, algo que o deixe protegido de outros humanos, mas nos esquecemos de como a vida pode ser divertida, a minha casca se quebrou novamente, e acho que não vai demorar muito para eu encontrar outra, mas enquanto isso eu vou vivendo um pouco mais livre, um pouco mais arriscadamente, e não me parece uma coisa ruim, pelo contrario estou muito bem assim, vivendo, errando, zoando, me divertindo com aqueles que eu me protegia contra, sinceramente eu estou gostando, vamos ver no que isso dá, vamos ver até onde eu consigo subir antes de cair eu vou com vocês do meu lado, e aquela casa que costumava ser tão divertida, agora está cheia de palhaços maus, acho que é hora de colocá-la no chão de uma vez por todas, enfim terei sossego, vamos nos divertir nessa vida e deixaremos o resto pra depois...

By: Megan