quarta-feira, 27 de abril de 2016



Era uma vez uma sereia que se afogou....

Porque eu odeio ter depressão:


Eu odeio me sentir assim, quebrada, jogada, no chão, odeio me sentir como se estivesse afundando e flutuando, sufocando no ar, um sopro no coração... Eu me sinto tão cansada, cansada de conversas banais, pessoas banais, situações banais e eventos banais, mas tudo se torna banal... Sair de casa se torna desesperador, se torna a coisa mais difícil do mundo e sinto como se pesassem mais de mil toneladas. Talvez seja porque perdi o meu sentido de novo, talvez ele me escape muito facilmente, mas a questão é que dói, dói horrivelmente e eu não sei o que dói. É querer dançar ballet e se sentir pesada demais pra isso, "você não sabe dançar" e não quero alguém me dizendo que é só aprender, eu quero chorar quero afundar de uma vez por todas, quero que isso pare, quero mergulhar em uma poça na qual estou deitada. E é basicamente por isso que eu odeio ter depressão, é essa pressão, é esse sufoco no ar, essa vontade de morrer, não morrer... mas não existir, a vontade de sumir em milhões de átomos, átomos sem memória de mim, eu odeio me sentir desse jeito porque sei que nada acabou e sei que posso criar e que a vida é bela, sei que há muito mais sofrimento do que sou capaz de imaginar e mesmo assim... Mesmo assim sou incapaz de me mover. É esse o porque eu odeio ter depressão.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

O Equilibrista


É simples
e não é...
Deveria ser
o que dizem ser
Mas o que a vida tem de leve
ela tem de desespero
e o que ela tem de simples
ela tem de desordeiro


É básico
e não é...
Deveria ser
Mas o que as formas tem de básico
as ideias tem de complicado
e o tal equilíbrio buscado
Nunca é muito explicado


Talvez a vida seja mesmo assim
em um momento é e no outro...
Já não é mais
Te firma te derruba
te tira o próprio equilíbrio que deu
Ah! Mas que equilíbrio mais desesperado

No fim o equilibrista é o verdadeiro artista.


Meg

terça-feira, 12 de abril de 2016

Sem titulo


Acho que aqui sempre foi um lugar pra eu desabafar, pra eu poder contar pro mundo o que nunca consegui falar com ninguém. Bom... eu estou destruída, estou acabada, estou pior do que jamais estive porque pela primeira vez na vida um sonho se destruiu, e eu não digo um sonho daqueles que a gente sempre quis ter, sempre quis uma boneca e a minha mãe disse que na volta a gente comprava, não é o sonho de amar e não ser correspondida, é o sonho mesmo, aquilo que constrói o ser, aquilo que motiva a sair da cama todos os dias da sua vida. Eu sei que a vida não segue sua programação pra ela e que ela não é uma maquina de realizar desejos, mas todo mundo é baseado em algo, é como se a família fosse a coisa mais importante do mundo pra você e você descobrisse que na verdade todos eles são falsos e que nem sua família são, ou que você é muito apegada a sua religião e descobre a verdade que seu Deus não existe (hipótese) eu estou me sentindo assim, é um sentimento tão forte que nem posso lidar com ele e entendo aqueles caras dos filmes que desistem, porque é muito fácil desistir quando se perde a razão, apostei todas as minhas fichas numa realização e agora pareço me afogar incapaz de sair daqui, eu me sinto atropelada ensanguentada no chão, enterrada viva é bem pior do que tudo que já senti, porque tudo parece sem sentido e todas as possíveis realizações parecem ainda mais distantes, eu não quero pessoas me dando seus ombros, eu não quero as pessoas dizendo que sentem muito ou que já passaram por isso, eu não quero que ninguém venha com "ah meg..." eu quero levantar, e parece que já estou fazendo isso, continuo meu caminho, continuo sempre em frente, mas por dentro estou em frangalhos, estou completamente quebrada e não consigo me concertar dessa vez, eu tenho a sensação de que serei infeliz, eu não sei porque estou viva e me forço a não me matar porque eu amo a vida la no fundo e eu.... eu não sei o que fazer, eu não sei o que pensar eu não quero ser infeliz, eu não quero viver no brasil, eu não quero viver essa vida, Eu não quero mais chorar,..