segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Eu.




Eu gosto de tulipas vermelhas, elas me fazem sentir poder. Gosto de gérberas, pois são abertas e felizes, gosto de rosas por me fazerem sentir feminina, gosto de chá e de café, gosto de coisas leves e doces e gosto de campos de flores. Eu amo o por do sol e amo quando as luzes se ascendem junto com o sol que se vai, eu amo a penumbra. Eu amo passear por ai e rir baixinho, eu amo conversar sobre historia e amo bibliotecas, amo passar horas estudando em uma mesa de madeira, eu amo desenhar, amo dançar e principalmente amo musicas calmas... Mas odeio quem grita, odeio quem não respeita e não quer saber se existe outro modo de vida, odeio flores pequenas ou muito grandes, odeio musicas gritadas e odeio quando venta frio, odeio quando me sinto presa ou pesada, odeio ser colocada pra baixo e passar o dia na cama, odeio como as pessoas são julgadas, odeio risadas falsas e odeio quando me olham como se eu fosse uma estupida... O fato é que eu sou assim, eu sou alguém que gosta de mar e de planos pra amanha, eu amo o vento nos meus cabelos enquanto eu sigo em frente, e não posso me sentir presa, não posso parar desse jeito, por mais que tudo que me prenda seja bom eu não consigo, pois eu sou um pássaro que gosta de voar alto e não vou passar uma vida em uma gaiola de ouro sentindo o vento no rosto apenas quando este consegue passar por entre as barras. Eu não serei uma mundana, eu viverei aventuras, eu viajarei o mundo, eu ajudarei milhares de pessoas... Pois não posso ser presa, não posso ser detida.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Vida


O trabalha ocupa o tempo, e nos impede de pensar muito naquilo que nos atormenta o fundo da alma. O corpo desanima os pensamentos, oscila e nos faz desistir, mesmo assim continuamos seguindo aquilo em que acreditamos, mesmo que em nossa mente aquele que irá julgá-lo é um dos únicos que pode faze-lo, não desiste, não agora, trabalho, cansaço, sonhos guardados na gaveta com recibos, trabalho, cansaço, tire os recibos, tire os sonhos, tire o trabalho, cansaço, de pé, ande, corra, voe, trabalho, alegria, sonhos, sonhe mais, mais, mais, viva.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Anjos





Eu acredito em anjos.

  Eu não sei se Deus é real, ou se existe qualquer coisa pós vida, mas curiosamente eu acredito em anjos, acredito que eles queiram o nosso bem, eu acredito em asas e principalmente acredito no amor.
Eu acredito nas minhas asas, eu sinto falta delas, sinto falta principalmente de voar, estar no alto, sentir o vento no rosto e nos cabelos, poder ir aonde quisesse e amar a partida, sinto saudade de rir ao vento e de chorar de saudade, sinto saudade de ajudar as pessoas e de ser alguém melhor.
  Alguns anjos se matam, eles não suportam ficar aqui, eles querem voltar pra casa, seja lá onde for, eles precisam arrancar suas cascas pra voar e pode crer eu entendo esse sentimento. Me sinto presa ao chão, presa nesta situação, nesse corpo, nesse amor por comodidade que é inevitável, mas eu sei de algo... Sei que alguns de nós, os que não morrem ou os que ficam acomodados, eles voam. Eu quero voar, quero ir o mais longe que minhas asas permitirem, indo alto até o sol, mas ele não me queimará, pois minha pele será feita de histórias e as minhas asas de ferro, meus olhos verão tudo e meus ouvidos escutaram as línguas inventadas e eu serei capaz de ajudar, visitarei a verdadeira felicidade de canto em canto eu amarei o mundo que foi criado pelos homens e o mundo que não foi criado pelos homens e talvez eu decida no que acredito.  Por agora eu sei que estou presa, mas a espera não será em vão, eu vou voar e vou encontrar com anjos, vou encontrar com demônios e vou vencê-los! Eu não sei aonde estarei, mas estarei por toda parte, estarei fazendo o bem se eu conseguir, eu não estarei aqui, mas você pode sempre me encontrar, eu vou voar...
Eu acredito em anjos.


By: M.

Tempo

  Parece que já fazem anos, muitos anos, desde que deixei de ser aquela garotinha maravilhosa que escrevia lindos textos e vivia em um próprio conto de fadas. Parece que já fazem anos.... Eu costumava saber o que queria, costumava ter forças sobre humanas e um amor profundo pelo desespero, um amor profundo pela anarquia mental que eu era e mesmo que tudo aquilo fosse apenas em mim, parecia mais real. O que as pessoas se tornam quando crescem? Será que percebem que estão mudando? Percebem as diferenças? Porque acho que estou percebendo algo. 
  Me tornei uma adulta chata, acabei de ler algo de uma amiga que falava a diferença entre crescer e complicar a vida e eu concordo! Não é porque você está crescendo que você tem que complicar a vida, mas acho que estamos com esse conceito intrincado em nós e acho que a vida espera de nós, a sociedade espera de nós, como se a cada ano colocassem pesos invisíveis em nossos ombros. Talvez eu use uma metáfora muito pesada, mas é assim que me sinto, sinto como se o mundo cobrasse decisões de mim que eu não sei como tomar, que eu nem sei se eu quero. Eu gosto da vida que eu tenho, mas tudo me grita que é temporário e a vida me implora por um caminho... "Ou você toma ou nós tomamos por você" dizem os anjos e sei que eu não vou achar ruim o que eles me escolherem, mas eu também não vou ser feliz. 
   No fim mesmo que crescer não seja ruim, acho que ela te empurra, de força a ser forte, te faz achar que tudo é complicado e tudo parece complicado porque somos seres humanos quando somos obrigados a fazer nossas vidas e decidir coisas, caramba isso é forte, é importante, nós achamos complicado. Talvez ela esteja brincando conosco, nos fazendo filosofar sobre coisas muito simples, nos fazendo questionar questões resolvidas, mas talvez a vida só tenha graça assim... Eu não sei, não sei o que pensar de você vida, não sei como reagir a você.  Sei que estou crescendo e me parece errado o jeito como as coisas estão seguindo... Me parece tudo muito simples, tudo muito difícil, ando numa corda bamba emocional com medo de cair, mas com vontade de voar..

By: Meg