sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Sobre eu te amar:




    Parece cada vez mais difícil te deixar, um tchau que eu te digo à sua ou a minha porta torna impossível eu te largar. E conversar com você apenas pela abençoada internet me causa angustias, dores no peito, e uma vontade tremenda de atravessar tudo que me colocarem no caminho até você.
Eu sei que não é assim, que não dá, somos quase adultos com responsabilidades, tarefas, problemas, eu presa em minha torre, sem dinheiro, apenas com amor pra alimentar nossa imaginação e por mim isto bastaria, bastaria se a realidade não batesse a minha porta... E eu não sei o que fazer. Por Deus isso é tão contrastante! Teu amor me faz sonhar de novo com coisas boas e cores enquanto a realidade tenta me puxar; quero viver as duas com você, fazer da realidade nosso sonho e do sonho esperança. Não me permito dizer em voz alta pra não assustá-lo, mas o futuro ao seu lado é algo que eu queira tentar. A algum tempo atrás isso era banal, era algo apenas encantado e passageiro, mas por incrível que pareça eu sou agora apenas uma menina de 17 anos perdidamente apaixonada por você e completamente assustada por uma intensidade que não achei possível, eu amo você, com todas as letras com a forma intransitiva do verbo eu amo e amo e pronto. Danço danças lentas com você, agitadas, compartilho risadas e carrancas, sou eu que estou lá para agitar os pom-pons pra você vencer e é você que está lá pra me apoiar, tudo parece tão certo, parece o tempo correto, o timing perfeito.
    E estar longe de você me desconcerta, me deixa perdida e sufocada, você é meu ponto de apoio, a única excessão, estou te amando. Me desculpa, mas eu te amo e gosto de te amar, não espero que me corresponda, mas parece que o faz, o que me torna ainda mais sortuda por amar e amar a você, obrigada pela esperança e por me fazer voltar a sonhar, talvez te amar seja isso mesmo um desenrolar de mim mesma e de sonhos descobertos na aventura que é gostar de você.


Da sua Lufana:

Mari.

domingo, 5 de outubro de 2014

Me desculpem

      Acho que devo explicações... Acho que devo desculpas por ter simplesmente abandonado este lugar, lugar que foi meu lar por tanto tempo... Acho que alguma coisas invitavelmente mudam, mas de maneira alguma este lugar deixa de ser meu canto, eu só não tenho tido tempo pra relaxar, pra respirar e pensar o que eu ando achando de tudo isso. Crescer não é fácil, não é realmente bom, acho que escritores são heróis de conseguirem crescer e continuar críticos, continuar escrevendo... Deve ser por isso que muitos são rotulados de preguiçosos, de sem serviço e coisas piores, bom eu tenho escolhas a minha frente e eu quero escrever, minha paixão é escrever histórias que encantem, amar a vida e ensinar a todos a amarem ela também, quero ajudar, quero fazer alguma diferença que não seja comum, eu quero ser lembrada, mas... Anda tão difícil, anda tão impossível quando agora mesmo eu deveria estar estudando e fazendo trabalhos, a faculdade é um futuro incerto e perigoso no qual eu estou louca para me aventurar, amar de novo é lindo e parece tão mágico com todos os erros e acertos, e há este medo constante de quem cresce sem saber onde vai focada aonde está indo, as vezes não devo perceber a luz do sol e raramente tenho tempo de me lembrar de um outro tempo, um tempo de inspirações onde tudo era diferente e as histórias fluíam, meu deus que saudade... Eu já fui alguém tão criativa, alguém tão ingenua e esperançosa, alguém tão mais eu do que eu sou hoje e eu sinto falta daquela maquina de escrever, daquelas ideias todas, mais do que a vocês eu peço desculpas a mim.
   Como eu pude me perder, como eu pude não me lembrar de quão magico é? Me perdoem não escrever se alguém ainda lê isto aqui, e me perdoe eu, meu coração não é maior que o mundo e pelo contrário é bem menor... Eu sou bem menor e ainda não consigo alcançar as estrelas. Não ainda. Mas ainda sou a Escritora de Sonhos a própria que voa alto que pula que ainda vai chegar la e vai voltar para contar histórias de como é sonhar e conseguir.

- Megan