sábado, 30 de julho de 2011

Até breve


Nesse momento acho que eu já devia estar acostumada a te ver longe de mim, mas mesmo que sejamos tão diferentes, acho que nunca vou poder me acostumar... Você tem saudade de coisas que eu eu jamais teria, saudades de amizades que eu não sei como é, sinto que você me deixa antes de partir, mas mesmo com tudo isso, acho que nunca estarei preparada para dizer tchau, você, é a unica pessoa aqui que me dá moral, e não dá para se acostumar a te ver ir, não á como não chorar e não sentir como se você estivesse aqui ainda, lembrar dos momentos em que passamos fazendo nada, eu não poderia dizer um tchau para você, se não você riria com meu choro, eu me sinto com um membro fantasma, mas eu vi você partir e seu cheiro ainda está no meu travesseiro, claro que choro, e choro sempre, então... Até breve, prometo que nos veremos de novo e que mais iremos viver, querida Mel e não se esqueça de quando rir, lembre-se de mim, lembre-se que á um bicho fraco aqui, um bicho fraco que te espera, que já sente saudades...


By: Meg

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Pare de me julgar



Se tem uma coisa que eu odeio é injustiça, só por que me conhece, vai me julgar diferente? Só por que os outros estão aqui, você vai tratá-los diferentes? Sim eu sei conviver com minha Hipocrisia e você? Sabe conviver com você? Não sei como consegue se aguentar, vai me julgar? Julgar alguém que acha que conhece, você pode ser mais velha, pode até ser alguém que me conhece desde sempre, mas não me conhece tão bem assim, você não para nem para ouvir meus medos, minhas idéias você despreza, minha filosofia  você ignora, minha imagem em você está distorcida, você está me magoando, e pra isso você liga? Você acha que eu posso ser maltratada? Que tudo bem, que estou acostumada? Olha eu sei que você me ama, e eu também te amo, sabe? Você está me deixando a beira da loucura, você esta me deixando pra baixo, e ainda tem a cara de pau de virar para os outros e dizer: "ela está nervosinha hoje" Por favor pare com isso, é a unica coisa que peço, PARE DE ME JULGAR.

By: Meg

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Escritores


   Qual a primeira coisa que passa em sua mente quando você pensa em um escritor/a? Na minha vem um/a escritor/a sentado/a em um café escrevendo em seu lep top, a vezes imagino esse personagem em um apartamento em Londres escrevendo e lendo um bom livro, ou tomando um café expresso. Talvez esses seja o meu sonho, talvez esse seja o meu futuro, que sabe? Mas uma coisa que não me parece certa nessa imagem, é a facilidade da vida dessa personagem, como se ele/a vivesse somente daquilo e vivesse no "bem bom" Eu me considero uma escritora, e devo informar a todos que a vida não é assim, apesar de escrever sonhos, vida, desejos, sentimentos, o que quer que um escritor deseje escrever, as vezes não conseguimos fugir inteiramente da vida real e nem de nossas obrigações, a vida de qualquer um é sempre igual, apesar de totalmente diferente, o autor não foge do contexto, ele só tenta explica-lo, o que torna isso ainda mais confuso, mas quem diria que a vida não é confusa? Certa vez ouvi a frase "quer ser escritora mocinha? Cuidado, é um trabalho solitário, é uma vida solitária" O que pensava eu dessa frase se não como a vida pode ser tão complicada? Alguns, como eu, acham que a vida é tão simples que chega a ser complicada ao nossos olhos, quem dera eu poder ver direito. Escritores, Escritoras, é melhor dizer aos netos que não conseguiu do que dizer que nunca tentou, não se esqueçam disso.

By: Meg

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Só por um tempo




A felicidade acompanha você, e por mais que eu negue sim você é uma droga viciante, acho que eu estou dependendo de você para ser uma pessoa livre, você é minha melhor companhia, e se eu tiver um sonho ruim eu posso correr pra você,  você me consola, você me protege assim como eu protejo você, mas acho que nós somos um pouco complicadas não? Acho que talvez possamos perder o controle, e se perdemos tenho medo de não achar mais, mesmo estando com você, você é a minha melhor amiga, e me sinto feliz com você, você me faz melhor, me faz acreditar que dá pra viver, ser uma pessoa comum e que eu não preciso me esconder, sou livre com você, e você é a unica que não vai embora ao meu toque, ou a minhas brincadeiras, pois elas são suas também, quando eu estou sem você... Bom sou meio catastrófica, sou meio melodramática, sou só eu sem você, quando estamos juntas eu sou quem eu sempre quis ser, eu me liberto e sou feliz, então como eu faço, quando eu me sinto dependente, no meio da noite, na luz do dia, quando a gente sai, e vai se divertir, como é que eu faço? Como é que vai ser, quando minha droga for embora, no momento quero só aproveitar que você está aqui, quero ser feliz com você, voltar aos dias que o dia seguinte não importava, agora tudo vai sumir e eu vou ser feliz um pouquinho mais...

By: Meg

sábado, 16 de julho de 2011

Melissa





O Beijo.

Ficamos um tempo ali sem nada falarmos, talvez ele estivesse esperando que eu falasse primeiro, mas todas as vezes que eu ia começar a falar ele dava a impressão se começara a falar também e nos calávamos, esperando o outro falar. Até que quebrei o silencio
- Random, desculpe-me, eu sei que é complicado, e que talvez você não queira nunca mais ver essa aberração, mas eu queria dizer que eu só queria que você entendesse, só isso, eu sei… Não é pouca coisa, mas é só isso que eu peço e depois eu sumo, nunca mais vai me ver e poderá viver em paz com Juliet, serão felizes e eu não aparecerei mais… - comecei a falar tudo de uma vez
- Pera aê! – disse ele e eu parei de falar – você ta querendo ir embora? Ou melhor… Ta achando que eu quero que vá embora? E que esquisitice é essa de eu e Juliet?  - perguntou ele confuso e eu fiquei confusa também
- Ora… por que mais me procuraria tão rapidamente? Eu te deixei sozinho não faz nem meia hora – sussurrei, ele sorriu, eu não podia suportar aquele sorriso tão igual e abaixei a cabeça, senti sua mão puxando meu queixo pra cima, olhei para Random, que me olhava com certa duvida nos olhos.
- Acho que… Acho que é por que eu sempre soube o que eu queria e o fato de você ter o passado mais estranho que eu já ouvi… bom, você… sempre será a minha Mel – disse ele sorrindo e se aproximando de mim. Eu não conseguia acreditar, algo me dizia que eu voltará a sonhar e que isso ia acabar assim que eu abrisse meus olhos. Random se aproximou muito de mim, seu hálito em meu rosto, respondi automaticamente, chegando mais perto dele.
- Acho que não podemos – sussurrei, mas não fazendo nada para impedi-lo.
- Acho que… podemos – disse ele me beijando, sua língua pedia passagem e seu hálito me provocava arrepios, eu retribuí, seu beijo era tão maravilhoso! Ele pôs a mão em meus cabelos me trazendo para mais perto, suspirei sentindo seu cheiro, seu sangue pulsava em seu pescoço, atrativo, ele saiu de minha boca beijando meu nariz, meu maxilar, meu pescoço deixando o sei bem a mostra, o beijei, o mordisquei…
- Ai – ele disse me trazendo a realidade, olhei para ele assustada, nós dois estávamos ofegantes.
- Acho melhor não fazermos isso de novo – sussurrei, ele discordou.
- É só nos controlarmos – disse ele, olhei seu rosto e ri, gostava de perigo assim como alguém que eu conheci…


By: Meg

Uma viagem





A menina tem um trabalho de escola para fazer, precisa descrever uma viagem inesquecível, ela então decide procurar a mãe:
- Mãe... Você poderia me descrever uma viagem sua, que foi inesquecível? - pediu a garotinha, a mãe fecha os olhos, como se saboreasse a lembrança, ela sorri e olha para a filha.
- Sim, claro o que quer saber?
- Primeiro... Como foi pra lá? - a menina pergunta anotando tudo.
- Fui em um trem que soltava muita fumaça. - Diz a mãe sorrindo.
- E como era lá? - pergunta a menina.
- Era lindo, havia um castelo, uma floresta, havia estufas e três torres enormes - diz a mãe, a menina para de anotar, agora maravilhada com a imagem que se formou em sua cabeça.
- E o que fez lá? - a menina perguntou. A mãe sorriu mais ainda:
- Dá primeira vez que estive lá, conheci meus melhores amigos, os que pra sempre estariam comigo, aprendi tantas coisas, joguei xadrez, peguei uma pedra tão linda, mas depois a destruíram... ela era perigosa. Da segunda, fui parar em uma Câmara, que todos achavam não existir, lutei contra um bicho chamado Basilisco... venci. Da terceira vez ajudei um homem inocente a fugir de um destino terrível, e fiz um Patrono, na quarta vez que estive lá, aprendi mais feitiços do que qualquer outra vez que estive - disse a mãe vacilante, uma lágrima escorre por seu rosto
- Feitiços? - pergunta a menina, agora duvidando da palavra da mãe
- Ah sim, da quinta vez, Conheci, mais amigos, e tinha um lugar que chamavam de Ordem, nessa vez, fui parar num lugar chamado Ministério da Magia, lutei contra um homem terrível. Da sexta vez conheci um príncipe...
- Um príncipe, mamãe! - exclamou a menina encantada, a mãe chorando concordou com a cabeça e sorriu.
- E na sétima vez que estive lá... O lugar ficou todo destruído, e muitos dos meus amigos se foram... - disse a mãe.
- Eu também posso ir para esse lugar, mãe? - perguntou a garotinha
- Claro que sim! - disse a mãe, a mulher foi até uma estante e de lá, puxou sete exemplares, surrados, e meio empoeirados, e entregou a filha.
- Mas mãe, são só livros! - disse a filha, a mãe negou com a cabeça
- Não filha... Isso é a chave que vai te levar para esse lugar, o lugar onde eu fui. - explicou a mãe.
- Sério? Mas parecem só livros velhos - disse a menina.
- Esses livros velhos serão pra sempre, tudo o que eu sou, esses livros me ensinaram a crescer, e ensinarão a você também - disse a mãe, a menina pega os livros no colo e os leva para o quarto, a mãe olha os livros irem, no colo de sua filha e sabe que no momento em que sua filha abrir o livro, mesmo que ela não saiba ela nunca mais vai esquecê-lo, voltando para o escritório a mãe pensa: Harry Potter  e tudo volta em sua mente, sempre voltaria, não importa quanto tempo se passa-se, ela sempre se lembraria...


By: Meg

Eros


Não existe coisas mais linda
Do que as falas de um amor
Falecendo nas asas de Eros
Criando faíscas na boca 
disparando o coração
quem dera eu poder amar,
assim como ama você,
assim talvez amor, deixe de ser dor
aflorando minhas alegrias 
que compadecem tão violentas
dentro do meu ser.

By: Meg

Amigas



Não importa se a porta fechar
Ou se o dia escurecer
Outro caminho vamos achar
Juntas, amiga, nós vamos vencer.


By: Meg

sábado, 9 de julho de 2011

O Corpo



Talvez fosse eu invulnerável, pudesse eu me livrar de todo o mal que me cerca, e talvez se eu tivesse tanta inpiração... Ah! Quem dera eu pudesse mostrar tudo que penso... Assim talvez escrevesse mais e talvez sofresse menos, talvez eu pudesse fazer parar de doer, não é de coração que falo, mas do corpo, que me gela os ossos, que me avermelha os olhos, que fecha a minha garganta, talvez sem isso eu pudesse ficar no computador, e dizer... Mas infelizmente, estou doente, desculpem as postagens serem... Ou melhor... Não serem, mas no momento preciso de repouso, me desculpem...


Abraços

By: Meg

sábado, 2 de julho de 2011

Desafio Da Miyako.

Miyako-Chan, minha querida amiga me mandou um desafio, e agora eu estou aceitando e respondendo.

"As regras são as seguintes: Você tem que colocar o link do blog que te indicou o desafio  e desafiar mais três blogs.  responder as questões e colocar o award de quem te desafiou e aqueles que foram desafiados tem que fazer um award para os seus desafiados! É... algo assim."


Blog: Miyako-Chan's Space http://miyako-chan-space.blogspot.com/

Award:  


1) Diga o seu apelido?
Bom... Meg, ou como me Conhecem "Vampira" 

2) Sua cor preferida?
Azul, cinza/prata e Verde musgo

3)O que te da mais prazer em blogar? 
Os meus leitores se indentificarem com os posts (Que ultimamente andam bem parados) 

4) Qual o tipo de musica e sua banda favorita?
eu adoroooo Rock and roll, ou um rock não muito pesado, como Paramore ou The Runaways, essas são minhas bandas preferidas.

5) Você gosta de alguém ? 
Da minha fámilia, dos meus amigos e bem... enfim!

6) Diga a primeira coisa que vem a sua cabeça quando ler você é ...? 
louca

7) Diga o apelido das suas melhores amigas?
Miya-Chan ou, como eu gosto de chamá-la, BISCOITO!
A Melissa ----> Mel, ou, cunhada
A Amanda ----> Amy.


8)Diga a cor do esmalte que você esta usado? 
Não estou usando cor nenhuma.
 
9) Quando você esta nervosa...?
Fico com calor, irritada, meu cabelo me irrita, nada da certo, enfim fico irritada

10)Diga uma frase que te defina ?

Quanto mais eu penso na minha vida mais percebo o quanto ainda não vivi ou Os Sonhos são para sempre.



Bom... Agora é a minha vez de indicar alguem
Mel - Sonhos em linhas
Marcos de Sousa - O mundo sob o meu olhar
♪ Dayane ♪ - Letras Eternas


By: Meg